29 de mar de 2012

A Pérola de Grande Preço




Mateus 13:46 - E, encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo quanto tinha, e comprou-a. 

Na parábola do comprador de pérolas, Jesus coloca um desfecho dramático: “Encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo o que tinha e a comprou” (Mateus 13:46).

Na vida, há pessoas que querem, ao mesmo tempo, comer o bolo e guardar o bolo. Na vida cristã, há crentes que se esforçam para fazer a mesma coisa. Querem seguir um Cristo de santidade, mas querem também continuar amizade estreita com os antigos amigos da promiscuidade. Dizem que encontraram a pérola de grande preço, mas não querem se desfazer de nenhuma outra pérola menor da sua coleção.

Uma das lições da parábola da pérola é a da exclusividade. Colocar Jesus no nosso armário lado a lado com ídolos humanos, de segunda classe, é uma afronta à suprema qualidade de Cristo. Quem entende do assunto não mistura o excelente com o inferior. Aquele que teve fé suficiente para “não servir a dois senhores” conseguiu experimentar o poder excelente de Cristo. Em última análise, aquele que encontrou aperola de supremo valor, nem se preocupa em vender as perolinhas vagabundas: ele, simplesmente, joga-as fora. Cristo é, sem dúvida, nossa única pérola de grande preço.

Pão Sem Os Maus Fermentos


  


Êxodo 12:17 - Guardai pois a festa dos pães ázimos, porque naquele mesmo dia tirei vossos exércitos da terra do Egito; pelo que guardareis a este dia nas vossas gerações por estatuto perpétuo. 

Nas vésperas da saída do povo hebreu, após quatrocentos e dezoito anos de escravidão no Egito, o Senhor dá as últimas instruções. “Guardai, pois, a Festa dos Pães Asmos, porque naquele mesmo dia tirei vossos exércitos da terra do Egito.” (Êxodo 12:17).

Não havia tempo a perder. Desde a noite, até o amanhecer do dia, cada detalhe da logística de Deus deveria ser obedecido. E, para dramatizar a situação, a última ceia deveria ser comida com roupas e sandálias de viagem. Um dos detalhes, no seguir as instruções com urgência e prontidão, foi o tipo de pão a ser comido: ser fermento. Não daria tempo de esperar pela levedura da massa. A partir daí, em função do impacto da ordenança, ficou instituída a Festa dos Pães Asmos, sem fermento.

É interessante como nosso sentido de urgência não bate com o conceito divino de urgência. Por isso, tendemos a deixar para amanhã, coisas que o Senhor ordenar para fazer ontem. Por outro lado, quantas vezes rogamos que o Senhor resolvesse problemas de anteontem. E, para nossa desilusão, constamos a resolução divina quando já nem mais esperávamos. É estranho descobrir que um Ser eterno lide com o tempo de maneira tão detalhada. A Bíblia chama isto de “a plenitude dos tempos”. Lembremo-nos deste detalhe, quando sentimos que Sua ordem é comer o pão ainda sem fermento.


Palavras jamais voltam vazias...
























4 de jan de 2012

Amizade verdadeira...


Verdades...


Depende das mãos...






Depende das mãos!


Ouvi recentemente uma ilustração que falou profundamente ao meu coração e quero compartilhar com você! Diz assim:
Tudo depende das mãos, por exemplo; uma bola de basquete em minhas mãos não custará nada além do valor que paguei na loja, mas a bola nas mãos do jogador Oscar valerá uma bela quantia... Depende das mãos!
Uma bola de vôlei em minhas mãos, ou na sua quanto valerá? Mas nas mãos de Giovanni e tantos outros famosos... Ah! Tem muito valor... Depende das mãos!
Uma vara em minhas mãos pode ser que sirva para derrubar um fruto da árvore ou quem sabe espantar algum animal, mas nas mãos de Moisés abriu o mar... Depende das mãos!
Um estilingue ou uma funda em minhas mãos não acertará nem um passarinho, mas nas mãos de Davi derrubou o gigante Golias... Depende das mãos!
Pregos em minhas mãos podem representar apenas quadros na parede, mas nas mãos de Jesus é a salvação de muitas vidas, da minha, da sua... Depende das mãos!
Um problema em minhas mãos significa, horas sem dormir, ansiedade, angústia, desespero, inquietação e tantas outras reações que ficaríamos aqui até amanhã, mas nas mãos do Senhor é resultado, solução, transformação, mudança, vitória... Depende das mãos!
Uma confiança depositada no homem pode representar engano, traição, decepção, infidelidade, descaso, abandono, mas nas mãos do Senhor, confiança, fidelidade, zelo, descanso, providência, socorro... Depende das mãos!
E a sua vida como vai? Depende...
Depende das mãos de quem você tem depositado toda sua confiança!
Se atentarmos para a palavra do Senhor encontraremos tantos testemunhos de homens e mulheres que receberam a vitória porque depositaram tudo nas mãos dEle, creram que Ele era e é o único meio de alcançarem salvação  para todos os  sofrimentos e pelejas.
Jesus nos disse: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu os vos aliviarei. (Mateus 11: 28)
Esta palavra é uma promessa! Deposite tudo nas mãos do Senhor não importa o que te falaram, dos homens são muitos pensamentos, porém, a palavra final é do Senhor! É Ele quem te concede a vitória através de Jesus... Lembra dos pregos?
Nunca devemos perder a esperança de que o momento de Deus agir em nosso favor logo chegue.
Quantas são as vezes que recebemos a promessa de ajuda vinda do homem, mas ela nunca chega? Quantas vezes confiamos que a nossa salvação para determinado problema está no Dr. Fulano, mas na verdade o que recebemos é só descaso.
Jesus não lhe trata assim, Ele quer somente que você deposite tudo em suas mãos...
Por quanto tempo você tem esperado? Talvez responda: - Ah! Tanto tempo que perdi as esperanças!
Não perca... Deposite tudo nas mãos certas... Depende das mãos!

Cristiane Novelli
turmadobuiu@hotmail.com

O Envenenangelho...





O Envenenangelho
 
Cansei de ser “evangélico”! Sei que está em moda dizer isto, mas não digo por causa da moda, como quem vai sendo manobrado como massa, mas sim por causa do nó na garganta mesmo, do aperto no peito e da triste constatação do imenso engano que cegou a igreja evangélica espalhada por todos os lados. Graças a Deus nunca fui “gospel”, mas ser “evangélico” não diz mais o que deveria dizer e não representa tudo o que Deus me chamou para ser Nele em amor e Graça e que está para muito além das portas das igrejas (com “i” minúsculo). Meu lugar, e o convite que recebi, é para ser do Reino e deste privilégio não abro mão.
O que digo certamente será combatido pelos “santos”, pelos “homens de ‘deus’”, por “pastores” e “gente da visão”. Serei chamado de “perturbador da fé”, “insubordinado”, “sem fé”, “sem aliança”, “sem cobertura”, dirão que estou causando escândalo ou coisas semelhantes a estas, mas assumo o que estou dizendo com a convicção de quem não vai pular do barco naufragando, mas que tem a vontade firme na rocha de ganhar a quantos conseguir, dentro e fora do barco, com minha pregação simples, sem arranjos, sem perversão e o mais sincera/verdadeira possível.
Estou enojado e farto de Atos (feiticeiramente) Proféticos, Teo-loteria da Prosperidade, declarações esquizofrênicas de autoridade, coberturas espirituais e recados dados por um “deus” que nunca cumpre o que promete e muda de idéia e direção como quem troca de sapato. Apóstolos, pastores e bispos que subiram no pináculo do templo e se fazem mediadores entre “deus” e os homens tentando fazer-se iguais a Deus, dizendo o que seu rebanho pode ou não pode fazer, julgando o servo alheio, sob a pena de não ordenar mais a bênção de “deus” aos seus discípulos através de sua autoridade. Campanhas de promoção barata e tentativas algemadas de lotar templos com gente que vem enganada e enganando-se, tentando frustradamente, de todos os jeitos, alcançar a inalcançável oração para a qual Deus não disse “amém”, mas que o “profeta” declarou que aconteceria. É gente que lê e ouve o Evangelho, mas leva pra casa e para o coração o envenenangelho.
Há lugar firme na rocha! Mas estes loucos teimam em construir suas casas/templos na areia. Negaram a cruz, afirmando não haver nela salvação suficiente, inventando quebras humanas de maldições hereditárias e uma santidade apenas moral/sexual/farisaica, sem ética e sem caráter, sem verdade de vida no Evangelho. Não crêem que a armadura de Deus, o capacete da salvação, o escudo da fé, a couraça da justiça, o cinturão da verdade e o calçado do evangelho da paz são equipamentos dados gratuitamente a todos os que crêem, até mesmo aos mais pequeninos na fé e não somente a uma “elite sacerdotal” detentora de uma “revelação nova”.
Denuncio estes lobos enganadores, raça de víboras, envenenadores do Evangelho que, não se contentando em mudar apenas uma vírgula ou til da revelação, perverteram todo o sentido da Palavra, ensinando doutrinas perversas que nada tem a ver com o Caminho/Boa Nova anunciada em Jesus, o Filho de Deus.
Não creio, de modo algum, em um “deus” que só age ou me livra do mau/mal se eu orar/verbalizar/declarar/profetizar meu pedido. Eu creio em um Deus que ouve minhas orações, sim! Todas elas. Muito antes delas me virem aos lábios. Ele me livra de vales da sombra da morte que eu nem imagino que se levantaram contra mim e vou andando em fé.
Meu Deus não se apresenta em “shows da fé”, não faz politicagem, não dá “jeitinho”, não me abençoa só porque sou fiel, mas em Graça e amor me reconciliou com Ele, sem merecimento algum, sem justiça própria, mas justificado mediante a fé Naquele que por mim se entregou mesmo sendo eu um pecador.
Os cantores de Deus não estão nos palcos das TVs, não lotam auditórios, nem ginásios, não são performáticos, mas estão cantando e louvando a Deus dentro das prisões, no silêncio do seu quarto louvando somente a Deus. Não buscam seu próprio interesse de vender mais CDs, não são idólatras de sua própria imagem.
É triste ver tantos amigos, colegas de ministério, gente querida e de Deus, mas que estão fascinados e tentados pela possibilidade de transformar as pedras em pães, de jogar-se do pináculo do templo e venderem suas almas ao principado deste século de sucesso, holofotes e aplausos. Minha oração é para que estes se arrependam e creiam no Evangelho. Abandonem o envenenangelho pregado por interesses pessoais, medidos em números e não na verdade de Deus produzida em amor. Por favor voltem ao Evangelho!
Há um lugar de liberdade e vida pacificada, plenificada, renovada todos os dias. Sem trocas, sem barganha, sem modificar ou acrescentar nada à Palavra revelada em Jesus, nem mesmo as novas interpretações e revelações exclusivíssimas que alguns falsos mestres e falsos apóstolos dizem ter recebido. O caminho antigo ainda é o Novo e Vivo Caminho em Deus. O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo é nossa garantia irrevogável que (todas) as nossas maldições e dores foram levadas sobre Ele. Está dito! Está escrito! Quem ouvirá? Quem vai crer em nossa pregação?

O Deus que disse “arrependam-se e creiam no Evangelho” te abençoe rica, poderosa e sobrenaturalmente!

Vontade soberana...


Amor verdadeiro


Simples assim...


Ah... O Amor!